Wednesday, January 21, 2009

'Cadernos D'Obra'

lançamento de revista e palestra de Eduardo Souto Moura

Na 6ª feira, 23 de Janeiro, 18h00, Eduardo Souto Moura, no âmbito do lançamento do 1º número da 'Cadernos D'Obra', revista científica internacional sobre construção de edifícios, desenvolvida pelo GeQualTec, grupo inserido na Secção de Construções Civis do Departamento de Engenharia Civil da FEUP, profere uma palestra no Edifício Burgo, Porto.

Editada pela FEUP Edições é uma publicação anual cujo 1º número será dedicado ao Edifício do Burgo, da autoria de Eduardo Souto de Moura, que oferece uma perspectiva particular de relacionamento da pré-fabricação com as tradições construtivas locais.

O desenvolvimento desta 1ª edição vem mostrar tanto na análise do projecto como nos artigos, a inequívoca urgência da cumplicidade para dar resposta às actuais exigências das Ciências da Construção e das disciplinas envolvidas, a Arquitectura e a Engenharia.

Mais informações em Feupedicoes.fe.up.pt

"O que Aprendi com a Arquitectura", Conferência de EDUARDO SOUTO MOURA | Sala 2, Casa da Música | org. OASRN

em trânsito #022
O que a aprendi com a Arquitectura?* | Eduardo Souto Moura
Porto, 22 de Janeiro 2009 | Quinta-feira, 22h* | Casa da Música, Sala 2

* Abertura de portas 21h15,
21h30 assinatura do protocolo entra a OASRN e a Casa da Música

Bilhetes disponíveis exclusivamente na bilheteira da Casa da Música

"Esta noite Souto Moura abriu o baú e revelou as referências pessoais,
explícitas ou menos, interesses culturais e paixões ou preferências
assumidas. Respondeu ao desafio através de uma multiplicidade de
informação; nada mais curioso que descobrir a sua marca poética
através das imagens que o mestre faz passar diante dos nossos olhos.
Uma colecção de palavras, recordações e figuras de inesgotável riqueza.
A lição é uma tentativa de pôr em ordem o seu próprio imaginário.
Muitos os personagens citados: Thomas Bernhard, Glenn Gould,
Ludwig Wittengstein, Picasso, Joseph Beuys, Gordon Matta-Clark,
Adalberto Libera, Bill Viola, Ignazio Sironi, Kandinsky, Bach, Miles Davis…
deste encontro heterogéneo emerge uma predilecção por um certo
carácter da arquitectura como o 'peso', a 'graniticidade'; a atenção aos
princípios universais legíveis no regionalismo, nos lugares onde a
natureza e a obra do homem se encontram, que quase escapam
ao 'desenho'. Espaços onde as pessoas se sintam bem e possam
expressar 'boa arquitectura'.
Assim, através da sua obra, Souto Moura ensina a reconhecer
também os arquitectos que influenciaram o seu percurso, clássicos e
contemporâneos: Schinkel, Loos, Quatrèmere de Quincy passando
por Venturi e Scott-Brown, Zumthor, Le Corbusier, Xenakis, Mendes da
Rocha, Porphyrios, Barragán, Niemeyer, Kahn, Grassi, Frei, Gardella,
Mies van der Rohe, Moneo…
Descobre-se assim um mundo de relações que validaram o seu trabalho
ao longo dos anos e que aqui, tornadas explícitas, denotam a elegante
medida, a coerência e continuidade com o moderno."
Texto recolhido por Veronica Dal Buono
por ocasião da conferência de Souto Moura nos 80 anos de Casabella.

Organização Ordem dos Arquitectos, SRN Parceria Casa da Música

Patrocínio AXA Seguros, Vector Mais

Mais informações em www.oasrn.org