Monday, March 29, 2010

The Raven - The Alan Parsons Project

Galeria Serpentine

Revolução Francesa em Londres

por CLÁUDIA MELO

Arquitectos famosos no mundo, e sem obras em solo inglês, foram convidados por esta galeria para criarem  um pavilhão de Verão nos jardins londrinos. Findo este período a obra é vendida e recriada noutro espaço.

Chegou a vez de a França ocupar os jardins londrinos do Hyde Park, operação comandada por Jean Nouvel . Depois de Sanaa (2009), Frank Gehry (2008), Olafur Eliasson e Kjetil Thorsen (2007), Rem Koolhaas (2006), Siza Vieira e Souto Moura (2005), MRVD (2004), Oscar Niemeyer (2003), Toyo Ito (2002), Daniel Libeskind (2001) e Zaha Hadid (2000) é a vez do arquitecto francês projectar em solo inglês aquele que é considerado um dos grandes acontecimentos arquitectónicos mundiais, o Pavilhão de Verão da Galeria Serpentine. Trata-se de uma iniciativa anual e única no mundo: arquitectos famosos, não britânicos, e que até à data não tenham obra em solo inglês, são convidados a projectar um pavilhão temporário que permanece no Verão no Hyde Park, nos Jardins de Kensington, ao lado da Galeria Serpentine. Finda a exposição, o pavilhão é desmontado, posto à venda e reconstruído noutro local.

O conceito do Pavilhão de Verão é promover uma exposição de arquitectura com um objecto real, que desencadeie pensamentos e debates, além de albergar eventos que a Galeria Serpentine não possa comportar. O Pavilhão funciona durante o dia como café e à noite acolhe debates, exibição de filmes e concertos. Tal como acontece nas obras de artes plásticas exibidas pela Serpentine, pretende-se que o pavilhão seja inovador e aponte novos caminhos à arquitectura.

Para celebrar o 10.º ano desta iniciativa, foi escolhido um arquitecto que procura a provocação e intensidade da experiência arquitectónica. O francês Jean Nouvel. Como tem sido corrente na sua obra, Nouvel concebeu um pavilhão que se destaca da paisagem e da envolvente, um objecto dramático e narcisista.

A partir de uma geometria complexa feita à base de planos que formam ângulos e arestas não ortogonais e, por sua vez, paredes e tectos não convencionais - alguns mesmo suspensos do solo - o arquitecto francês desafiou a gravidade e sistemas estruturais. Para tal, contou com a colaboração com Cecil Balman, engenheiro civil da Ove Arup + Partners e um dos grandes especialistas mundiais em estruturas.

Para além de imprimir dinamismo à forma, esta solução permite uma enorme versatilidade espacial, de forma a melhor acomodar todos os compartimentos necessários ao pavilhão, como sala de exposições, auditório e bar/cafetaria.

O dramatismo da forma é enfatizado pelo material e, principalmente, cor de revestimento. Feito à base de vidro colorido, policarbonato e estruturas metálicas, o pavilhão de Nouvel será totalmente vermelho. Esta cor cria um enorme contraste com o solo do parque, a verdejante relva, mas também com a Galeria existente, situada numa antiga casa de chá neoclássica construída em 1934 e adaptada às funções artísticas em 1998.

Tradicionalmente, o vermelho é a cor identificada com força, dinamismo, exaltação, que transborda vida e agitação e que se impõe sem discrição. Segundo Nouvel, o vermelho é também uma cor icónica britânica, presente em inúmeros elementos arquitectónicos como caixas de correio, autocarros e portas de edifícios.

A Serpentine é actualmente uma das galerias de Arte mais populares de Londres. Criada em 1970 por The Arts Council of Great Britain, é a única galeria pública inglesa que mantém entrada livre para exposições de arte e arquitectura. Organiza cerca de cinco exposições de arte por ano, e desde 2000, a encomenda anual de arquitectura para o Pavilhão de Verão.

Via DN: http://dn.sapo.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=1530361&seccao=Arquitectura

Thursday, March 25, 2010

Once Upon a Place - Haunted Houses and Imaginary Cities

1ª Conferência Internacional sobre Arte e Arquitectura
6 de Abril de 2010, data limite para a submissão de resumos

O Centro de Investigação em Arquitectura, Urbanismo e Design da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, CIAUD/FAUTL, o Centro Cultura Urbana Contemporânea, CUC, organizam, com a colaboração institucional da Fundação Calouste Gulbenkian, FCG, do International Association of Word and Image Studies, IAWIS, e o apoio da Ordem dos Arquitectos, OA,  a 1ª Conferência Internacional sobre Arte e Arquitectura "Once Upon a Place – Haunted Houses and Imaginary Cities", um projecto associado da Trienal de Arquitectura de Lisboa 2010.

Esta iniciativa é dedicada a arquitectos, historiadores, investigadores, ensaístas, artistas e autores, visando a reunião de um grupo de personalidades críticas e criativas. Está já confirmada a presença de Alberto Manguel (autor/escritor), Colin Fournier (arquitecto), Gonçalo M. Tavares (escritor) e Ângela Ferreira (artista plástica). 

O período de submissão de resumos para participação na Conferência decorre até 6 de Abril de 2010.

Mais informações em www.onceuponaplace.fa.utl.pt

 

1ª conferência internacional "Imobiliário & Cidade - O Desafio do Norte"

6ª IMOBITUR
25 a 28 de Março de 2010, porto

A 6ª Edição da IMOBITUR - feira de imobiliário do Noroeste da Península Ibérica decorre entre 25 e 28 de Março, na Exponor, no Porto.

A 25 e 26 de Março, a IMOBITUR realiza a 1ª Conferência Internacional no âmbito da feira sob o tema "Imobiliário & Cidade – O Desafio do Norte". A Conferência conta com intervenções da CCDR-Norte, da Porto Vivo-SRU, da Junta Metropolitana do Porto, do Turismo do Porto e Norte de Portugal, numa iniciativa que conta com a participação activa das associações do sector - APEMIP e AICCOPN.

A Conferência é organizada pela Vida Imobiliária e pela IMOBITUR e em colaboração com a ULI Portugal e da EGP-Escola de Gestão do Porto.

Programa completo e outras informações em www.imobitur.eu

 

Friday, March 19, 2010

Conferência de Álvaro Siza Vieira sobre "Fundação Iberê Camargo: o projecto, a obra, as tecnologias"

 

"Fundação Iberê Camargo: o projecto, a obra, as tecnologias"

Debate com a presença do Arquitecto Álvaro Siza Vieira

FAUP, Auditório Fernando Távora, 26 de Março, 18 horas


A Revista Cadernos d'Obra vai promover, no próximo dia 26 de Março, o debate "Fundação Iberê Camargo: o projecto, a obra, as tecnologias". Álvaro Siza Vieira, autor do projecto, irá dar a conhecer melhor esta obra galardoada com o Leão de Ouro da Bienal de Arquitectura de Veneza em 2002.

No próximo dia 26 de Março, pelas 18h00, o Auditório da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) vai acolher o lançamento do segundo número da revista científica internacional de Construção, Cadernos d'Obra, editada pelo GEQUALTEC. O evento, sob o tema "Fundação Iberê Camargo: o projecto, a obra, as tecnologias", contará com Álvaro Siza Vieira, autor do projecto de arquitectura e o Eng. Jorge Silva, autor do projecto de estruturas, irão dar a conhecer melhor esta obra galardoada internacionalmente.

Projectada em 1998 e construída entre 2004 a 2008, a Fundação Iberê Camargo surgiu com o objectivo de preservar e divulgar a obra do prestigiado pintor brasileiro, tornando-se de imediato uma referencia internacional não só nos meios arquitectónicos com da engenharia, pois foi o primeiro edifício construído em betão branco no Brasil. Projectado por Siza Vieira, o projecto recebeu o Leão de Ouro da Bienal de Arquitectura de Veneza (2002) e foi mérito especial da Trienal de Design de Milão.

Nesta edição da revista Cadernos D'Obra o projecto da Fundação Iberê Camargo é abordado sobre perspectivas científicas da arquitectura e da engenharia e por diversos autores, entre os quais o arquitecto Kenneth Frampton, Rafael Moneo, e os engenheiros Prof Vasco Freitas, Prof. Raimundo Mendes da Silva, Prof. Silva Afonso e Engº Ângela Nunes. O evento de dia 26 de Março contará, entre outros, com a presença do Director da FAUP, Francisco Barata.

Recuperação da Zona Histórica custa 230 milhões



O Centro Histórico do Porto tem 1796 edifícios, dos quais 653 muito degradados ou em ruína. Do total, 51 estão actualmente em obra. Para recuperar toda aquela área são necessários 230 milhões de euros, estima a Sociedade de Reabilitação Urbana/ Porto Vivo.

"Qualquer linha de metro em Lisboa custa este valor", constata Rui Loza, arquitecto, docente universitário e administrador da Porto Vivo, durante a sua intervenção num colóquio na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto sobre o tema "Reabilitação Urbana e Impacto Social". Porém, acrescenta, com "a legislação, as condições económicas e sociais e todo o cenário que é Portugal" serão necessárias décadas para reabilitar quarteirões.

O evento, organizado pelo Grupo de Reabilitação Urbana (GRUA), nasceu das "inquietações de alunos e arquitectos sobre a reabilitação da Baixa portuense". Nuno Grande, arquitecto e docente universitário, apresentou-se como o "agente provocador" e cumpriu a promessa.

Pôs em causa a filosofia de reabilitação da Porto Vivo, que intervém por quarteirões quando a cidade foi crescendo por lotes. "É uma perspectiva de reabilitação muito discutível. Diria mesmo que é o pior que o fachadismo tem", criticou, referindo-se a uma época (início século XX) em que apenas as fachadas dos edifícios eram tidas em conta nos processos de licenciamento.

Pegando no exemplo de um conjunto de edifícios que estão em obra no cimo da Rua de Mouzinho da Silveira, Nuno Grande criticou a SRU por estar a criar apartamentos para a família de "target elevado" que há anos foi viver para a Foz, para Matosinhos-Sul ou para a Maia. "Essas pessoas não vão voltar para os centros históricos", afirmou o docente, considerando que serão, sobretudo, as famílias monoparentais, pessoas que gostam de estar sós, criativos e homossexuais que vão procurar casa na Baixa.

Na mesma empreitada na Rua de Mouzinho da Silveira, Nuno Grande aponta o dedo à obsessão da Porto Vivo "pelo estacionamento". Parte do terceiro piso daquele edificado vai ser transformado em parque para os automóveis dos residentes. "Que sociedade urbana é que esta que queremos trazer para o Centro Histórico?", questiona o arquitecto, considerando que o ideal seria um centro de cidade que reunisse todas as sociedades urbanas.

Para isso é necessário que as SRU respondam à procura, sejam "alfaiates cosmopolitas". "Tal como o alfaiate que ajusta o fato ao cliente, as SRU devem ajustar a oferta a todas as medidas", concluiu o docente, arrancando aplausos dos estudantes.

Também Virgílio Pereira, sociólogo que estudou o morro da Vitória, deixou as suas preocupações. "O Porto passa por um fenómeno muito severo de abandono urbano. É um desafio muito complicado, espero que as políticas da Câmara resultem, mas tenho receio que possam não resultar", afirmou. Mais importante que o regresso dos estudantes, "é encontrar formas que façam com que os filhos e os netos dos que vivem na Vitória possam lá ficar", concluiu o docente.

Sobre o outro morro, o da Sé, falou Paulo Valença, coordenador do projecto de Reabilitação do Morro da Sé. O arquitecto elencou as necessidades daquela zona (apenas 4% dos edifícios não precisam de obras) e apresentou os projectos em curso - uma residência para 120 estudantes, um hotel, a ampliação de um lar e um projecto de realojamento para quem vive em edifícios com poucas condições. O plano para o Morro da Sé pressupõe um investimento de 39 milhões de euros.

INÊS SCHRECK

Via JN: http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=1521573

Monday, March 8, 2010

II Encontro Sobre os Estuques Portugueses: O Restauro do Salão Árabe


28 e 29 de Abril 2010, Porto

O Museu do Estuque organiza o 'II Encontro Sobre os Estuques Portugueses : O Restauro do Salão Árabe', a 28 e 29 de Abril de 2010 no Salão Árabe do Palácio da Bolsa, no Porto. 

Com este II Encontro pretende-se sensibilizar a opinião pública e profissional sobre a importância e a fragilidade deste património desprotegido pela História da Arte e criar um ponto de partida para uma reflexão que permita, sobretudo, um contributo a uma pratica de restauro e de recuperação destes artefactos mais conscienciosa.

Mais informações em restaurosalaoarabe.blogspot.com

 

Portugal SB10 | Conferência Internacional sobre Construção Sustentável

17, 18 e 19 de Março 2010, Vilamoura

As inscrições para a conferência internacional Portugal SB10 sobre construção sustentável, subordinada ao tema 'edifícios sustentáveis acessíveis a todos' encontram-se ainda a decorrer.

Este evento, coordenado pelo Prof. Luis Bragança da Universidade do Minho / iiSBE Portugal, e Prof Manuel Duarte Pinheiro do Instituto Superior Técnico, DECivil, realiza-se nos dias 17 a 19 de Março no Hotel Hilton em Vilamoura.

A conferência SB10 conta com seis oradores chave de nível mundial que vão fazer os seguintes pontos de situação:

• Charles J. Kibert - Net Zero Energy Buildings: The Next Major Shift in High Performance Building?
• Raymond Cole - Beyond Green: Changing Context – Changing Expectations
• Nils Larsson - State of the art in sustainable building
• Thomas Lützkendorf - Procurement and Financing of Sustainable Buildings
• Kaarin Taipale - Construction counts for climate – also after COP15 in Copenhagen
• Ronald Rovers - The shift from “less bad” to “0-impact”

Estão ainda previstas cerca uma centena de comunicações abrangendo especialistas de Portugal, Espanha, Brasil, Itália, França, Reino Unido, Países Baixos, Alemanha, Finlândia, Chipre, Malta, Polónia, Republica Checa, Estados Unidos, Canada e China, que irão abordar:

• Políticas para a construção sustentável de baixo custo
• Soluções construtivas sustentáveis de baixo custo
• Soluções construtivas sustentáveis de alto desempenho
• Monitorização e avaliação
• Casos de Estudo

O evento é apoiado por parceiros nacionais e internacionais de elevado prestígio, como a Ordem dos Arquitectos, OA, a Ordem dos Engenheiros, OE, o International Council in Building and Construction, CIB, o United Nations Environment Programme, UNEP, e a International Initiative for a Sustainable Built Environment, iiSBE.

Os membros destas organizações poderão usufruir de condições especiais na inscrição.

Inscrições, programa completo e outras informações
em www.iisbeportugal.org/portugalsb10

 

A Cidade a Pé | Seminário Internacional


18 de Março 2010, Aveiro

A Câmara Municipal de Aveiro promove, a 18 de Março, o Seminário Internacional 'A Cidade a Pé', no Centro Cultural e de Congresso de Aveiro, entre as 9h00 e as 18h00.

O seminário surge no âmbito do Projecto Europeu de Mobilidade Active Access, integrado no programa europeu Intelligent Energy Europe, do qual o Município de Aveiro é um dos 17 parceiros europeus que integram a rede de cidades promotoras de medidas de mobilidade.

Este evento pretende divulgar e discutir o objectivo principal do Projecto Europeu “Active Access”, que reside na promoção de políticas que aumentem a circulação ciclável e, sobretudo, pedonal nas pequenas deslocações dos cidadãos, ganhando consciência das hipóteses de compras, serviços e lazer na sua vizinhança. Estarão presentes representantes e especialistas dos diversos parceiros europeus.

Inscrição gratuita.

Mais informações em www.cm-aveiro.pt

 

Tuesday, March 2, 2010

Jean Tschumi, Themes in Architecture | Conferência e 2 Seminários, Jacques Gubler

9, 10 e 11 de Março 2010, Guimarães

A Escola de Arquitectura da Universidade do Minho, EAUM, organiza a 9 de Março, 18h00, a conferência "Jean Tschumi, Themes in architecture" de Jacques Gubler, professor emérito da Escola Politécnica Federal de Lausanne e da Universidade da Suíça Italiana.

O arquitecto suíço Jean Tschumi, após estudar na École des Beaux-Arts em Paris, envolveu-se no campo polémico da modernidade através da expressão tecnológica. O seu trabalho, interrompido bruscamente com a sua morte em 1962, aos 57 anos de idade, é rico no enunciado de questões teóricas.

A Conferência consistirá numa apresentação geral sobre a obra do arquitecto baseada em cinco temas:
- o desenho à escala natural oposto aos esquiços em formato de selo postal;
- o "zoom" entre o detalhe e a escala metropolitana;
- o método do projecto estudado segundo variantes;
- o mobiliário como plataforma para o projecto de arquitectura;
- a noção de "Corporate Architecture.

Da conferência decorrem 2 seminários, a 10 e 11 de Março, 14h00-16h00, com desenvolvimento da componente de inovação tecnológica e construtiva na obra de Jean Tshumi, nomeadamente o estudo de caso do edifício Nestlé de Vevey e a criação de uma escola de arquitectura em Lausanne.

A conferência e seminários decorrem na EAUM, em Guimarães, e a entrada é livre.

A conferência será em Português, Francês, Inglês e Italiano, sem tradução simultânea.

Mais informações em www.arquitectura.uminho.pt

 

VII Bienal Iberoamericana de Arquitectura e Urbanismo

15 e 20 de Março 2010, data limite de candidatura

A VII Bienal Iberoamericana de Arquitectura e Urbanismo, que se celebrará na cidade de Medellín, na Colômbia, de 11 a 17 de Outubro de 2010, é subordinada ao tema "Arquitectura para a Integração da Cidadania", e tem o arq. José Adrião como delegado português, estando a arq. Ana Tostões integrada no Comité Assessor Iberoamericano.

Está a decorrer a selecção de Obras da VII Biau, a submeter ao delegado nacional trabalhos realizados nos últimos três anos, entre 1 de Janeiro 2007 e 31 de Dezembro 2009, e que não tenham sido apresentados na anterior BIAU – Lisboa 2008:

* Até 15 de Março: obra de arquitectura ou urbanismo
* Até 20 de Março: publicações: livros, publicações periódicas, outros suportes
* Até 20 de Março: investigação

A selecção e o envio à organização da VII BIAU dos trabalhos compete, exclusivamente, ao delegado nacional. Os trabalhos enviados directamente ao Secretariado permanente não serão aceites.

Envio digital de obras de arquitectura e urbanismo e de trabalhos de investigação.

Envio de publicações
Ordem dos Arquitectos
Delegado nacional VII BIAU
Arquitecto José Adrião
Travessa do Carvalho 23
1249-003 Lisboa

Mais informações em www.arquitectos.pt e www.biau.es

 

 

 

 

Evergreen Awards-Call for Entries

2010 Call for Entries

Evergreen

Eco-Structure recognizes excellence in building design and environmental performance.

All winning entries will be featured in the November issue.

GrassCorkBambooWater

ELIGIBILITY
Architects, developers, contractors, and other building professionals practicing in the U.S., Canada, or Mexico may submit projects. Ecommercial and Greenhouse entries must have been completed after Jan. 1, 2006. On the Boards entries must be unbuilt. Green building professionals may be entered as individuals in the Perspective category.

Projects that have won other awards are eligible. Projects than have won past Evergreen Awards are not eligible for re-entry.

QUESTIONS
evergreenawards@hanleywood.com

CATEGORIES
Ecommercial:
Environmentally responsible, high-performing commercial, industrial, or institutional projects

Greenhouse: Environmentally responsible, high-performing residential projects (including single family and multi-family structures)

On the Boards: Unbuilt commercial, industrial, institutional or residential projects that address environmental performance and sustainable design and construction

Perspective: Nominate a thought leader and industry professional who is moving the green building movement forward

DEADLINES & FEES Register and upload by
July 1, 2010.
First Entry: $100; Additional Entries $75.

Register and upload after July 1, 2010.
First Entry: $150; Additional Entries $125.

Absolutely no entries will be accepted after July 13, 2010.

HOW TO ENTER
Click here for more information

Enter Now

Powered By
Eco-structure